Pub
Pub
artigo
imprimir

Guia para a primeira consulta de diabetes

O que esperar de uma primeira consulta de diabetes? Saiba como se deve preparar para tirar o maior partido da sua primeira consulta.

O diagnóstico de diabetes, assim como, de qualquer outra doença crónica que nos acompanha para toda a vida, tem um grande impacto. Inicialmente é perfeitamente natural surgirem muitas dúvidas tais como: o que é a doença? Que cuidados são precisos ter, o que se pode ou não comer? Vou ter de fazer insulina? As primeiras consultas são essenciais para esclarecer essas dúvidas e saber o que fazer para gerir e controlar a diabetes. Numa primeira consulta de diabetes, o seu médico vai querer saber várias informações sobre si. Ao antecipar essas questões, poderá ir melhor preparado para tirar o maior partido da sua consulta.

artigo

77.

A diabetes tem cura?

Informações importantes na primeira consulta de diabetes

Qual o seu historial médico?

 

É importante informar o seu médico das doenças que tem ou que já teve. Por exemplo, se é hipertenso, se tem o colesterol elevado, se tem doenças autoimunes (como psoríase, lúpus, artrite reumatoide…), problemas de visão, dos rins, do fígado, etc. O seu médico vai certamente querer saber também se tem alergias a medicamentos, assim como, se já foi alguma vez operado e se tem a vacinação em dia.

 

Informe ainda o seu médico se sofreu alguma variação de peso recente, como costuma estar a sua tensão arterial (mesmo que não seja hipertenso) e mostre-lhe, igualmente, análises e exames que tenha feito recentemente.

 

Informações relativamente à sua família também são relevantes, principalmente para saber se existe tendência familiar em ter diabetes ou outras doenças. Como tal, pode ser confrontado com perguntas como: existe diabetes na família? Existem doenças que passam de pais para filhos?

Saber os seus outros problemas de saúde serve para averiguar, por exemplo, o seu risco cardiovascular. O risco cardiovascular, as suas alergias, o estado de saúde dos seus rins e fígado, tudo são fatores que podem influenciar, por exemplo, o plano terapêutico (isto é, plano alimentar, de exercício e eventual medicação) que o seu médico irá propor para si.

artigo

71.

Os vários passos do tratamento da diabetes tipo 2

Que medicamentos toma habitualmente?

 

O seu médico poderá questionar sobre a sua medicação crónica, ou seja, os medicamentos que toma habitualmente. Não só para saber mais informações sobre o seu estado de saúde, como também para averiguar potenciais interações medicamentosas com medicamentos usados para controlar a diabetes (os antidiabéticos orais).

 

Uma interação medicamentosa consiste na forma como os medicamentos se relacionam entre si no organismo. Certos medicamentos, no entanto,  tomados em simultâneo podem afetar a atividade de cada um, originando posteriormente consequências como efeitos adversos ou alteração do efeito terapêutico dos medicamentos em si. O ideal é que leve consigo para a consulta toda a medicação que faz toma para que não hajam dúvidas. Não se esqueça de informar sobre eventuais tratamentos que faça sem receita médica como, por exemplo, suplementos, produtos de ervanária e de medicina alternativa ou complementar.

 

Como é a sua alimentação?

 

Na diabetes, é essencial, antes de mais nada, um estilo de vida saudável. Esta doença traz a necessidade de manter uma dieta equilibrada, saudável e pobre em hidratos de carbono para conseguirmos atingir um bom controlo glicémico. Um diário alimentar dos últimos dias antes da consulta, certamente, irá permitir ao seu médico ter noção dos seus hábitos alimentares. Dessa maneira, será mais fácil detetar erros na alimentação, corrigi-los e realizar sugestões e dicas práticas aos seus horários e rotinas, para que cumpra uma alimentação cuidada e equilibrada.

 

Que hábitos ou consumos são importantes?

 

Na consulta, decerto, irá ser questionado sobre os seus hábitos pessoais: considera o seu estilo de vida sedentário ou ativo? Costuma fazer atividade física? É fumador? Consome bebidas alcoólicas? Tem outros vícios? Evitar comportamentos sedentários, mantendo hábitos frequentes de exercício físico, fazem parte da abordagem básica da diabetes. O seu médico irá, igualmente, em conjunto consigo, criar um plano de atividade física para si, pelo que é importante saber quais os hábitos que já tem na sua rotina.

 

O tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas são comportamentos prejudiciais para a saúde e aumentam o risco de complicações na diabetes. Nesse sentido se fuma ou tem um consumo de álcool excessivo deve pedir aconselhamento junto do seu médico.

Como me devo preparar para a primeira consulta?

A primeira consulta é muito importante para esclarecer sobre o que é a diabetes, bem como, o que é que o seu diagnóstico implica no dia-a-dia, e que cuidados deve ter a partir de então. É um momento durante o qual o seu médico irá procurar saber sobre si tudo o que seja relevante para realizar um plano de ação. Esse plano, feito de uma maneira individualizada (porque vai ser baseado em si), procura fornecer as ferramentas necessárias para que consiga gerir a diabetes no seu dia-a-dia, por ser uma doença crónica que o irá acompanhar durante a vida. Um plano individualizado deve incluir:

 

  • Uma dieta adequada a si;
  • Um plano de exercício físico;
  • O tratamento ideal para si, que pode passar somente por dieta e exercício, ou ser necessário tomar antidiabéticos orais ou insulina.

 

Aproveitando as informações supracitadas, compilámos o que deve preparar antes da consulta para tirar o maior partido da mesma:

 

  • Para além do seu histórico médico, leve exames e análises recentes para a consulta;

 

  • Leve consigo a medicação que faz habitualmente, bem como outros tratamentos e produtos não sujeitos a receita médica;

 

  • Faça antecipadamente um diário alimentar dos dias anteriores à consulta – neste ponto, seja sincero. Não tenha medo de dizer que comeu um «docinho» ou algo menos saudável. O importante é saber o mais corretamente possível os seus hábitos – o seu médico vai gostar da sua honestidade!;

 

  • Acima de tudo: leve as suas dúvidas. Elas irão, certamente, ser esclarecidas pelo seu médico ou enfermeira assistente. Não tenha medo de perguntar tudo o que quer saber sobre a doença, desde o seu tratamento, complicações e cuidados que deve ter. Assim, conhecer bem a diabetes é a maior arma que possuí para controlá-la;

 

  • Tenha uma atitude positiva. Em conjunto com o seu médico, irão encontrar a melhor estratégia para controlar a doença. A diabetes pode ser desafiante, mas é possível superá-lo com o seu empenho e ajuda dos profissionais de saúde que o seguem.
artigo

08.

O papel da alimentação no tratamento da diabetes

Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

artigo
imprimir
anterior seguinte