artigo
imprimir

Medir a glicemia em casa – um guia para iniciantes

Saiba quando deve fazer a medição de glicemia, o que deve ter em casa e como proceder para o fazer de forma correta e tentando minimizar os erros frequentes de medição.

Patrocinado por

Medir a glicemia em casa, isto é, a quantidade de açúcar no sangue, é uma parte importante do tratamento e controlo da diabetes. Esta obtenção dos valores de glicemia feita pelo próprio doente ajuda-o a ajustar a medicação às necessidades diárias, e de acordo com as refeições e o exercício físico, por exemplo (que tendem a alterar esses valores ao longo do dia). Além disso, é uma necessidade que tornará o trabalho do profissional de saúde que o acompanha muito mais fácil, com acesso a dados fidedignos que contribuem para um maior controlo da doença.

Quando devo medir a glicemia em casa?

Esta pergunta não tem apenas uma resposta certa: a quantidade de vezes que deve medir a sua glicemia depende do tipo de diabetes, das exigências do seu dia a dia e dos restantes problemas de saúde que possa ou não ter. Por isso, vamos por pontos:

 

Tem diabetes tipo 1?

 

As recomendações internacionais recomendam que teste a sua glicemia pelo menos 4 vezes por dia, incluindo antes de cada refeição e antes de se deitar. O médico pode ainda sugerir que meça a glicemia com mais regularidade em casos particulares como durante a gravidez, ou se estiver a amamentar, ou ainda se tiver regularmente episódios de hipoglicemia (quantidade de açúcar no sangue abaixo do limite recomendado).

 

Tem diabetes tipo 2?

 

As pessoas com diabetes tipo 2 devem medir a sua glicemia pelo menos 1 vez por dia. Há doentes diabéticos que o podem fazer menos vezes e outros muitas mais – consoante também façam insulinoterapia ou não. Fale sempre com o seu médico para decidir a quantidade de vezes que a medição está indicada no seu caso.

 

Tem diabetes tipo 2 e é recém-diagnosticado?

 

Neste caso pode ser importante medir a glicemia mais do que 1 vez por dia numa primeira fase para poder dar ao seu profissional de saúde um conjunto de resultados mais diverso, de forma a ter uma noção mais clara sobre o seu caso. A partir daí, farão os ajustes necessários.

 

Tem diabetes tipo 2 e administra insulina?

 

Os médicos costumam recomendar que nestes casos sejam feitas medições de 3 ou mais vezes por dia, especialmente se os doentes estiverem a utilizar insulina em dosagens diferentes ao longo do dia, exatamente para poderem adequar a terapêutica. Estes ajustes devem sempre ser feitos mediante o aconselhamento do médico, que lhe irá explicar a melhor forma de os realizar.

artigo

06.

Insulinoterapia: quando e como

Há outros fatores que podem afetar a decisão do número de vezes que importa fazer o teste. Se leva um estilo de vida ativo, com exercício físico regular, é possível que tenha de medir mais frequentemente; se conduz ou estiver num trabalho com riscos envolvidos vai querer testar de forma mais frequente para sua própria segurança e dos que o rodeiam (mesmo antes de fazer uma simples viagem mais longa, pode ser importante testar); uma vida muito agitada no trabalho, por exemplo, pode fazer com que não tenha disponibilidade  para medir tão frequentemente e tenha de confinar as medições a horas específicas do dia.

 

Crie um calendário de medições e registe os seus valores!

 

O seu profissional de saúde vai agradecer-lhe. O calendário vai ajudar a que não se esqueça de medir e vai poder, acima de tudo, ajudar o seu profissional de saúde a tomar decisões sobre o seu tratamento que podem fazer toda a diferença no controlo da doença. Um calendário simples, sempre ajustado às necessidades de cada um, poderia por exemplo ter, em cada dia os valores para a glicemia:

 

  • Em jejum.
  • Depois das 3 principais refeições.
  • Depois do exercício físico.
  • Ao deitar.

Que material devo ter?

Para testar a sua glicemia em casa deve ter o seguinte material, que pode ser adquirido na farmácia, de preferência sempre de acordo com recomendação médica:

 

  • Uma lanceta e um dispositivo de punção capilar para picar o dedo;
  • Um aparelho de medição;
  • Tiras para recolher a gota de sangue que será depois lida no medidor – atenção: as tiras devem ser compatíveis com o medidor;
  • Um pouco de algodão.

Medir a glicemia em casa passo a passo

Munido dos utensílios necessários siga, então, os seguintes passos:

 

  • Lave as mãos e seque-as bem.
  • Insira uma das tiras-teste no seu medidor.
  • Escolha um dedo da mão. Identifique na almofada do dedo uma zona a picar.
  • Com a lanceta, pique a zona identificada.
  • Faça pressão ou massaje a zona em redor da picada até que uma gota de sangue se forme.
  • Encoste a gota à extremidade da tira que está voltada para si, oposta à que está colocada no interior do aparelho de medição.
  • Vai notar que a gota será absorvida pela tira.
  • Rapidamente, irá ver o resultado no ecrã do aparelho – por vezes o mesmo é acompanhado de um sinal sonoro ou luminoso, no ecrã.
  • Se necessário limpe a região que sofreu a picada com um pouco de algodão.
  • Descarte sempre a tira usada assim que a medição estiver concluída.

Alguns erros frequentes – e não só de principiante!

É normal que hajam alguns erros na medição da glicemia. O importante é que, ao longo do tempo, os aprenda a minimizar por forma a ter sempre certeza de que os resultados são o mais fidedignos possível.

 

Alguns dos erros comuns, e as formas de os evitar, podem ser:

 

  • Escolher um medidor de glicemia que não se encaixa nas necessidades do seu dia a dia, bem com as tiras de medição erradas para o aparelho que tem.

 

  • Regular mal o aparelho de medição, ajustando mal, por exemplo, o dia e a hora. Reveja as definições do seu medidor e garanta que o tem corretamente ajustado para que, ao fim de algum tempo, possa ter um conjunto de medições certas de acordo com a hora do dia em que as realizou (lembre-se de que os seus valores vão mudar de acordo com o período do dia em que realiza o teste).

 

  • Testar a uma hora errada. Muitas pessoas medem a glicemia demasiado cedo depois de uma refeição, o que dará sempre uma leitura enviesada. A insulina ou a medicação que toma tem de atuar em conformidade e, para isso, é preciso que passe o tempo certo. Lembre-se sempre de abordar o horário com o seu profissional de saúde.

 

  • Não estabelecer uma rotina. Abrindo, desta forma, à possibilidade de se esquecer, de fazer medições díspares ao longo do dia e, como tal, à impossibilidade de estabelecer um padrão. Ter valores padronizados para as suas variações da glicemia pode ser útil na adequação do tratamento por parte do médico e nos ajustes que queira fazer ao seu estilo de vida.

 

  • Não lavar as mãos antes de medir a glicemia em casa. As mãos podem estar contaminadas com substâncias que vão alterar os resultados. Prefira sempre água e sabão ao álcool ou ao gel desinfetante.

 

  • Não se manter hidratado ao longo do dia e consumir bebidas alcoólicas pode levar a resultados adulterados.

 

Acima de tudo, informe-se sempre com o profissional de saúde sobre todos estes procedimentos por forma a que ele o possa ajudar a tomar não só algumas das decisões, mas que o guie também no sentido de lhe mostrar erros que possa estar a cometer e, como tal, contribuam para uma medição incorreta dos seus parâmetros glicémicos.

Fontes

Referências

  • Diabetes UK
  • WebMD
  • Everyday Health
artigo
imprimir
anterior seguinte