Pub
Pub
artigo
imprimir

Diabetes e osteoporose: está em risco?

A osteoporose é uma doença que afeta os ossos, tornando-os frágeis e com maior risco de fratura. Será que a diabetes tem relação com a osteoporose? E se tiver osteoporose, será um doente de risco por ter diabetes?

A diabetes é uma doença metabólica caracterizada pelo estado hiperglicémico (excesso de açúcar no sangue) induzido pela falta ou ineficácia da insulina. Para além das complicações normalmente abordadas e mais comuns, como, por exemplo, danos nos olhos, rins, coração e vasos sanguíneos, a diabetes tem implicações na saúde do osso. Ou seja, poderá existir uma relação entre diabetes e osteoporose, sendo que é preciso olhar com mais atenção para os diferentes tipos de diabetes.

 

Apesar de não se conhecer ainda os mecanismos por detrás disso, sabe-se que a diabetes tipo 1 está relacionada com ossos de menor densidade. Pensa-se que a diabetes tipo 1, ao ser uma doença típica da infância e ocorrer durante a maturação óssea, possa interferir nesse processo, originando ossos mais «frágeis». Além disso, uma baixa densidade óssea significa risco acrescido de osteopenia e osteoporose. Ambas as situações representam perdas patológicas de massa óssea, sendo a primeira uma fase mais inicial e a última mais grave. Por outro lado, a relação entre diabetes e osteoporose no tipo 2 da doença não é tão conhecida. Sabemos, contudo, que existem diversas situações relacionadas com a doença que podem aumentar o risco de fratura e ser, assim, problemáticas para quem tem diabetes e osteoporose.

 

Tal como a diabetes, a osteoporose não tem cura, mas é uma doença prevenível e tratável. Também como a diabetes, as mulheres pós-menopausa estão em maior risco, pelo que a partir de uma certa idade está recomendado a realização de densitometria óssea. E, caso seja receba o diagnóstico de osteoporose, existem tratamentos disponíveis para prevenir a perda de massa óssea e a ocorrência de fraturas.

Diabetes e osteoporose: estou em risco por ter diabetes?

O principal risco da osteoporose são as fraturas. Isto porque na osteoporose os ossos são mais débeis, pelo que as fraturas podem resultar em dor e incapacidade graves. A diabetes mal controlada pode significar um risco acrescido na osteoporose pelo risco aumentado de queda. Isto porque está também associada a complicações que podem aumentar o risco de quedas e fraturas:

 

Hipoglicemias

 

A hipoglicemia está associada a sintomas como náuseas, visão turva e tonturas, com potencial perda de equilíbrio. O risco de queda está presente pelo que, ao mínimo sintoma, é importante que se sente e verifique os níveis de açúcar no sangue. Caso esteja perante uma hipoglicemia, deve corrigi-la com a toma de açúcar.

 

Problemas de visão

 

A diabetes mal controlada, isto é, com mau controlo glicémico (açúcar permanentemente alto), está associada a complicações nos olhos. A doença ocular diabética pode levar a perda de visão o que, por sua vez, pode levar a dificuldades no equilíbrio e a quedas.

 

Neuropatia

 

A neuropatia consiste em danos nas fibras nervosas (os nossos nervos). A neuropatia diabética leva muitas vezes a perda de sensibilidade nas extremidades do corpo, principalmente nas pernas e nos pés. Essa perda de sensibilidade pode afetar a marcha e, consequentemente, tornar a pessoa mais suscetível a quedas.

 

Cuidados a ter num caso de diabetes e osteoporose

Na presença de diabetes e osteoporose é muito importante minimizar o risco de queda e de fratura. Quando se é diabético, as estratégias de prevençãao passam por diminuir a probabilidade de ocorrer alguma das situações listadas acima. Além disso, os cuidados a ter, principalmente em pessoas com diabetes, são:

 

Alimentação

 

A nutrição tem um papel fundamental, quer na osteoporose, quer na diabetes. Para manter os ossos fortes e saudáveis devemos ingerir alimentos ricos em cálcio. Fontes importantes de cálcio incluem, por exemplo, os laticínios e os vegetais. Uma dieta pobre em hidratos de carbono e gorduras é também essencial para manter um bom controlo glicémico e, desta forma, evitar as complicações da doença.

 

Exposição solar responsável

 

O sol é a nossa principal fonte de vitamina D. Esta vitamina possuí um papel importante no metabolismo do cálcio e na saúde óssea. Deve apanhar sol todos os dias e, para obter a dose de vitamina D necessária, basta uma exposição de 10 a 20 minutos na palma da mão, por exemplo. Apesar do protetor solar interferir na síntese de vitamina D, deve ter em atenção para evitar exposições prolongadas sem o uso do mesmo, de maneira a prevenir insolações.

 

Exercício físico

 

Atividade física como caminhadas, subir escadas e dançar são ótimos exemplos que contribuem para ossos saudáveis. Para além disso, o exercício é uma forma de combate à obesidade, com benefícios no controlo da diabetes. Garanta que faz exercícios físicos de baixo risco, isto é, prevenindo o esforço e eventuais fraturas.

[internal-related-article link=https://www.diabetes365.pt/prevenir/exercicio-fisico-yoga-e-diabetes/

Cessação tabágica

 

O tabaco tem inúmeras desvantagens. Para além de ser um fator de risco para doenças cardiovasculares e não contribuir para o controlo da diabetes, é também um fator de risco para perda de densidade óssea. Deixar de fumar é um passo fundamental na saúde dos seus ossos e no controlo da diabetes!

 

Consultas médicas

 

Existem exames médicos que servem para apurar se tem osteoporose ou se está em risco de vir a ter, como a densitometria óssea. São normalmente pedidos após os 65 anos de idade ou mais cedo, se se justificar. Dessa forma, o tratamento pode ser iniciado, de maneira a tornar os ossos mais fortes e resistentes. A diabetes também é uma doença que justifica idas regulares ao médico, para, através de análises, averiguar se está bem controlada ou não.

 

Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Fontes

Referências

  • Osteoporosis and Related Bone Diseases National Resources Center
  • Chau D & Edelman S, 2002
  • Diabetescouk
artigo
imprimir
anterior seguinte