Pub
Pub
artigo
imprimir

Existe uma relação entre a erisipela e diabetes?

Ouve-se por vezes falar numa possível relação entre a diabetes e erisipela (uma infeção da pele). Mas será que essa relação existe de facto? E o que deve saber sobre a erisipela?

Será que existe uma relação entre erisipela e diabetes? Antes de chegarmos à resposta percebamos do que se trata esta infeção. A erisipela, também chamada de «Fogo de Santo António», é uma infeção bacteriana frequente da pele que se desenvolve de forma rápida (entre 1 a 2 dias). Estima-se que sejam identificados entre 10 e 100 casos de erisipela por cada 100.000 habitantes por ano.

 

É possível que tenha ouvido os termos erisipela e celulite a ser usados como se tivessem o mesmo significado. No entanto, estas duas afeções da pele são distintas. A erisipela é uma infeção mais superficial e de origem apenas infeciosa. Por outro lado,  a celulite refere-se a diversos tipos de inflamação dos tecidos moles, com causas variadas.

O que precisa de saber sobre a erisipela

Quais são os principais sintomas?

 

A erisipela é diagnosticada pela aparência típica da lesão e pela deteção dos sintomas usuais. Os primeiros sintomas são febre súbita (38,5 a 40 °C), arrepios e mal-estar geral. De seguida, desenvolve-se na pele uma placa de eritema, vermelha, dolorosa e muito inchada, cujos bordos permitem delimitar claramente o tecido que foi afetado do que permanece saudável. Esta placa estende-se em poucas horas e é acompanhada por inflamação dos nódulos linfáticos.

 

A localização preferencial das lesões de erisipela é, na grande maioria dos casos (cerca de 85 %), os membros inferiores, podendo surgir também nos braços e na face. As lesões podem chegar a ter uma extensão no seu maior eixo de 10 a 15 cm.

 

Além disso, podem por vezes observar-se vesículas e bolhas, preenchidas com um líquido translúcido e de dimensões significativas. A esta variante da doença dá-se o nome de erisipela bolhosa. Mais recentemente, foi também descrita uma outra variante, a erisipela hemorrágica.

 

Quais são as causas de erisipela?

 

A erisipela é causada por uma infeção bacteriana. Esta poderá alastrar-se devido, por exemplo, a uma mordedura de inseto, a uma úlcera, a uma incisão cirúrgica ou a uma insuficiência venosa, que serve como «porta de entrada». E, uma vez desenvolvendo esta doença, a probabilidade de a voltar a tê-la na mesma parte do corpo aumenta.

 

A bactéria Streptococcus pyogenes é apontada como o principal responsável pelo desenvolvimento de erisipela. Ainda assim, alguns estudos sugerem que, em 10 a 17 % dos casos, outra espécie bacteriana, Staphylococcus aureus, possa estar também na origem desta doença. No entanto, nos casos de pé diabético ou de lesões associadas à pressão contínua na pele, não se deverá descartar a possibilidade de outros tipos de bactérias estarem associados a esta doença.

 

Como é tratada a erisipela?

 

Para controlar a erisipela recorre-se ao tratamento com antibióticos orais ou injetáveis. No entanto, este deverá ser iniciado o mais rapidamente possível, em repouso, para evitar a formação de abcessos ou de uma infeção mais grave, que poderá produzir lesões permanentes ou novos episódios. Iniciar um tratamento precoce poderá prevenir algumas complicações, como a septicemia, abcessos, que a infeção alastre para outros tecidos (músculo e osso) ou, mesmo, insuficiência renal ou meningite (em casos de erisipela facial).

 

O que pode fazer?

 

  • Consultar o médico o mais cedo possível, se considerar que está a sofrer um novo episódio de erisipela;
  • Seguir os conselhos sobre cuidados da pele, para reduzir possíveis pequenas lesões, que possam despontar erisipela;
  • Usar meias de compressão, elevar as pernas e perder peso poderão ajudá-lo a reduzir o inchaço das pernas.

 

Mas existe uma relação entre a erisipela e diabetes?

 

Sim, de certo modo. Ainda que qualquer pessoa possa vir a ter erisipela, existem algumas condições de saúde que aumentam a probabilidade de ter. E uma delas é a diabetes. Além disso, existem alguns fatores de risco para o aparecimento de erisipela que podem também estar relacionados com a diabetes: a obesidade e o aparecimento de cortes na pele e úlceras nas pernas.

 

Consulte a lista completa de fatores de risco para a infeção por erisipela:

 

  • Diabetes mal controlado;
  • Obesidade;
  • Pé de atleta;
  • Cortes na pele, úlceras nas pernas e úlceras de pressão;
  • Picadas de inseto;
  • Administração intravenosa de fármacos;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Inchaço dos membros, devido a insuficiência linfática (linfedema, por exemplo);
  • Doença hepática;
  • Sistema imunitário comprometido (crianças pequenas, doença, idade avançada ou, por exemplo, uso de alguns tipos de medicamentos);
  • Eczema.
artigo

56.

Sinais da diabetes que se veem na pele

Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Fontes

Referências

  • Caetano M & Amorim I, 2005
  • Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venerologia
  • Brown BD, et al, 2020
  • Michael Y & Shaukat NM, 2020
  • American Diabetes Association (ADA)
  • British Association of Dermatologists
  • Primary Care Dermatology Society
artigo
imprimir
anterior seguinte