Pub
Pub
artigo
imprimir

Ir de férias com diabetes: vai prevenido?

Será que está preparado para ir de férias sem descurar o controlo da diabetes?

As férias são o momento de mudar de ares, de partir à aventura ou de simplesmente aproveitar para descansar. No entanto, ir de férias com diabetes e manter o controlo da doença pode trazer alguns stresses que não combinam nada com esta época do ano. Afinal, a diabetes nunca tira férias. Ou seja, entre manter a medicação, fazer as medições da glicemia, gerir a alimentação e o exercício físico são muitas as frentes a que é preciso dar atenção. Isto quando tudo o que deseja é simplesmente livrar a cabeça de preocupações.

 

O que fazer? Em primeiro lugar, planear é a palavra de ordem para garantir que ao ir de férias com diabetes, vai prevenido.

Vai de férias com diabetes? Tenha em mente:

Que quem tem diabetes é mais suscetível às doenças e infeções

 

Sempre que vai de viagem garanta que tem as vacinas em dia e adota uma postura de evitar problemas e riscos desnecessários. Além disso, leve consigo a informação sobre o seu estado de saúde atual, medicação e seguro de saúde ou de viagem, caso tenha.

 

É preciso adequar os cuidados ao destino

 

Para o ajudar a preparar-se pode ser importante investigar mais sobre o destino e sobre o alojamento. Terá tudo o que necessita? Poderá armazenar a medicação em segurança? Terá um espaço fresco no verão? Aproveite e pergunte tudo antes de ir, investigue quais as farmácias mais próximas e quais os postos de saúde a que se pode dirigir se necessário.

 

Há que ter atenção aos comes e bebes

 

É natural que tenha vontade de explorar as iguarias locais. No entanto, não se esqueça de privilegiar os locais com opções saudáveis com poucos hidratos de carbono. Não se esqueça de se manter hidratado e evite o consumo de bebidas alcoólicas.

 

Todos os cuidados com a medicação são poucos

 

Procure manter a sua rotina de medicação com horas regulares. É especialmente importante para quem faz insulinoterapia ter cuidado para evitar a hipoglicemia ou a cetoacidose diabética. Além disso, garanta que sabe ao certo como resguardar a medicação durante a viagem.

 

Quem tem ao seu lado

 

Pode ser importante garantir que quem vai consigo de viagem saiba da sua doença e, sobretudo, o que fazer caso precise de ajuda. Isto é ainda mais importante nos casos em que viaje por sua conta ou com alguém que possa não conhecer tão bem. Lembre-se ainda de que pode valer a pena avisar o guia turístico, alguém responsável no alojamento ou o motorista nos transportes de viagem.

 

artigo

232.

Diabetes e cuidados na praia

O que levar na mala?

É aconselhável que faça a sua própria lista para a mala de viagem. Contudo, se nunca fez, hoje trazemos-lhe algumas dicas:

 

  • Chapéu e óculos de sol

São essenciais para o ajudar a resguardar-se do sol. Porque a diabetes pode provocar lesões oculares, verifique se os seus óculos de sol têm a devida proteção UV.

 

  • Medicação

Não só a necessária para o tempo de viagem, mas também alguma a mais. Leve sempre a medicação nas embalagens originais para evitar erros de administração. Adicionalmente, considere levar medicamentos para o caso de ficar doente e não se esqueça do kit de glucagon se tiver tendência para a hipoglicemia.

 

  • Material para efetuar a medição

Garanta que leva o seu medidor de glicemia com baterias extras, tiras-teste, lancetas e álcool. No caso de precisar de detetar uma eventual cetoacidose diabética, leve os materiais para o teste.

 

  • Barrita de glicose ou hidratos de carbono simples

Para atuar rapidamente em caso de uma hipoglicemia inesperada.

 

  • Cantil de água

O ideal é que se mantenha sempre hidratado. Por isso, ter um cantil consigo para onde quer que vá pode ajudar.

 

  • Álcool-gel e material de desinfeção

Assim, seja qual for a situação, poderá manter as suas mãos e superfícies com que contacta desinfetadas, prevenindo infeções.

 

  • Kit de primeiros socorros

Os acidentes acontecem. No entanto, uma ferida ou infeção pode ser mais perigosa para quem tem diabetes. Assim sendo, garanta que tem tudo o que precisa para desinfetar e cuidar de uma ferida no momento.

 

  • Identificação da doença e contactos de emergência

Podem ser fundamentais quer para si, quer para quem viaja consigo.

 

  • Calçado adequado e confortável

Evite ao máximo andar descalço e escolha calçado confortável de qualidade. Assim sendo, estará a proteger os seus pés de feridas inesperadas ou de lesões provocadas pela fricção que podem tornar-se num sério problema de pé diabético.

 

  • Protetor solar e hidratante

A diabetes também pode afetar a pele. Assim, é fundamental que coloque protetor solar 15 a 30 minutos antes de se expor ao sol. Além disso, porque a pele de quem tem diabetes tende a ficar mais seca e frágil, passar um bom hidratante adequado pode ajudá-lo a manter a sua pele saudável e sedosa.

 

Dúvidas sobre se falta alguma coisa? Não hesite em dialogar com o seu médico ou farmacêutico sobre se, no seu caso específico, há algo mais que não pode mesmo deixar de levar!

artigo

191.

Como cuidar da pele na diabetes?

Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Fontes

Referências

  • Centers for Disease Control and Prevention (CDC)
  • Children's Hospital of Philadelphia
  • The University of Utah
  • Everyday Health
  • Diabetes UK
  • WebMD
artigo
imprimir
anterior seguinte