artigo
imprimir

A diabetes e a insuficiência cardíaca

Descubra qual a relação que existe entre a diabetes e a insuficiência cardíaca.

Patrocinado por

Para além da relação conhecida entre o enfarte do miocárdio e outras doenças cardíacas associadas à aterosclerose, a insuficiência cardíaca contribui de uma forma significativa para a morbilidade e mortalidade das pessoas diabéticas. É, por isso, fundamental perceber melhor a relação entre a diabetes e insuficiência cardíaca.

 

A insuficiência cardíaca é um problema crescente de saúde pública. Estima-se que 1 em cada 5 pessoas venha a desenvolver esta patologia ao longo da sua vida. É também possível antecipar que a presença desta doença em doentes com diabetes se transforme num problema cada vez mais comum. Apesar de os números atualmente disponíveis serem díspares, estima-se que mais de 45 % das pessoas com diabetes apresentam também insuficiência cardíaca.

O que é a insuficiência cardíaca?

A insuficiência cardíaca é uma doença cardíaca crónica e progressiva em que o coração não bombeia sangue suficiente para o corpo, não cumprindo a sua função de oxigenação dos tecidos corretamente.

 

O coração desenvolve, então, um conjunto de mecanismos de compensação:

 

  • Aumento da força de contração;
  • Desenvolvimento do músculo cardíaco;
  • Aumento da frequência com que bombeia sangue;
  • Estreitamento de alguns vasos sanguíneos para manter a pressão arterial normal;
  • Desvio do sangue de alguns tecidos e órgãos para o cérebro e coração.

 

Estes mecanismos de compensação fazem com que muitas pessoas apenas se apercebam que têm esta doença meses, anos ou até décadas após ter começado.

 

À medida que a doença se agrava, os doentes começam a sentir mais fadiga, dificuldades respiratórias e retenção de líquidos. A qualidade de vida diminui, sendo que as admissões hospitalares devido a complicações são comuns.

 

Mesmo quando os doentes já apresentam sintomas, a falta de conhecimento sobre a doença pela população em geral e as dificuldades no diagnóstico são um desafio à identificação precoce da insuficiência cardíaca. Além disso, significam um atraso no tratamento destes doentes, o que conduz a um pior prognóstico.

 

quiz

114.

O que sabe sobre o risco cardiovascular e diabetes?

Qual a relação entre diabetes e insuficiência cardíaca?

A diabetes e a insuficiência cardíaca ocorrem frequentemente em conjunto e cada uma destas condições aumenta o risco uma da outra. Em comparação com as pessoas não diabéticas, a presença de diabetes duplica o risco de insuficiência cardíaca no homem, e quadruplica o risco na mulher.

 

Quanto mais avançada a idade, maior a possibilidade de uma pessoa diabética vir a ter insuficiência cardíaca. Também se sabe que pessoas com doença sistólica do ventrículo esquerdo (doença cardíaca causada pela perda de fibras do músculo cardíaco e/ou maior resistência à contração muscular) sem sintomas, assim como pessoas com valores de glicemia não controlados, têm uma probabilidade maior de sofrer insuficiência cardíaca.

 

Outros fatores, para além dos citados, incluem:

  • Presença de doença arterial coronária e doença arterial periférica;
  • Problemas renais e oftalmológicos (retinopatia);
  • Há quanto tempo a pessoa tem diabetes;
  • Obesidade;
  • Pressão arterial alta.

 

Além disso, é importante saber que doentes com diabetes e insuficiência cardíaca em simultâneo têm um pior prognóstico que os doentes sem diabetes e com insuficiência cardíaca.

 

Como é controlada a diabetes em doentes com insuficiência cardíaca?

 

A frequência de insuficiência cardíaca em doentes com diabetes não é o único fator que é preocupante. O prognóstico associado às complicações da insuficiência cardíaca é também ainda pouco satisfatório. Felizmente, ao longo das duas últimas décadas este aspeto tem vindo a melhorar.

 

Apesar de o tratamento intensivo para reduzir os níveis de glicemia poder contribuir para a prevenção de algumas complicações a longo prazo, como a retinopatia, a nefropatia, a neuropatia periférica, ou o enfarte do miocárdio, poderá não ser suficiente para impedir que outros tipos de doenças cardiovasculares se desenvolvam, como, por exemplo, o acidente vascular cerebral (AVC).

 

Caso tenha dúvidas sobre a relação entre a diabetes e insuficiência cardíaca ou suspeita que esse pode ser o seu caso, não deixe de conversar com o médico para esclarecer todas as questões.

video

91.

A diabetes influencia o risco cardiovascular?

Junte-se à comunidade Diabetes 365º!

Fontes

Referências

  • Lehrke M & Marx N (2017)
  • McMurray JJV, et al, 2014
  • Van den Bergen JC, et al, 2018
  • American Heart Association (AHA)
  • Dunlay SM, et al, 2019
  • Elsevier's Integrated Pathology
  • Packer M, 2018
  • Kenny HC & Abel ED, 2019
  • Lam CSP, et al, 2019
artigo
imprimir
anterior seguinte