Pub
Pub
artigo
imprimir

Há uma relação entre a diabetes e a dor de cabeça?

Dor de cabeça: um problema tão comum! Hoje vamos falar sobre os vários tipos de dor de cabeça e se existe alguma relação conhecida com a diabetes.

A dor de cabeça afeta milhões de pessoas em todo o mundo. É frequentemente considerada pelas pessoas como um sintoma alarmante. Em 2014, por exemplo, foi o motivo de cerca de 4 milhões de visitas ao Serviço de Urgência, só nos Estados Unidos. No entanto, sabemos que, na maioria das vezes, se trata de uma situação benigna e autolimitada, o que não invalida a importância de conhecermos os sinais de alarme que nos devem chamar a atenção.

Tipos de dor de cabeça

A dor de cabeça, quando não tem uma causa subjacente, é classificada como primária. Este é o tipo mais frequente, responsável por 90% de todas as dores de cabeça. Entre os tipos de dor de cabeça primária, temos:

 

  • Enxaqueca

Afeta normalmente apenas um lado da cabeça (nem sempre o mesmo) e a dor varia de moderada a intensa. É muitas vezes acompanhada de outros sintomas, como intolerância ao barulho e à luz, náuseas ou alterações transitórias da visão (conhecidas como aura);

 

  • Dor de cabeça em tensão

Dor por toda a cabeça, leve a moderada, tipicamente descrita como uma «pressão». É o tipo mais comum e acredita-se que esteja relacionado com o stresse e cansaço;

 

  • Dor de cabeça em salvas

A mais rara das dores de cabeça primárias, é também unilateral (habitualmente sobre um olho), muito intensa e de curta duração, repetindo-se habitualmente à mesma hora durante um período de tempo.

 

Quando é uma doença que causa a dor de cabeça, esta passa a chamar-se de secundária. Entre as causas mais comuns temos as síndromes gripais, constipações, otites, alergias ou sinusite.

Existe uma relação entre a diabetes e a dor de cabeça?

Não nos surpreenderia se houvesse uma relação entre a diabetes e a dor de cabeça. Afinal de contas, é sabido que a diabetes tem efeitos nas nossas fibras nervosas e nos vasos sanguíneos, ambos com um papel importante na origem da dor de cabeça. No entanto, vários estudos realizados para tentar compreender se há relação entre a diabetes e a dor de cabeça mostram-se contraditórios ou inconclusivos. O que é importante realçar é que a dor de cabeça pode estar relacionada com outras questões intimamente ligadas à diabetes, nomeadamente: o tabagismo, a dieta, a tensão arterial e a hipoglicemia.

 

Um estudo publicado no Journal of Diabetes & Metabolic Disorders aferiu que, apesar de não haver uma relação entre a enxaqueca e a diabetes, diminuir a frequência de hipoglicemias (níveis de açúcar muito baixos no sangue) poderia estar relacionado com uma diminuição da frequência de enxaqueca, em pessoas diabéticas. Nesse sentido, torna-se importante manter um bom controlo glicémico, para assim evitar tanto as hipoglicemias como as hiperglicemias (níveis excessivamente altos de açúcar no sangue). As hipoglicemias são mais frequentes em pessoas que fazem insulina e certos antidiabéticos orais, como as sulfonilureias, pelo que os valores de glicemia devem ser regularmente controlados para evitar essas situações.

 

A hipertensão arterial, certos hábitos como o tabagismo e a privação de sono, podem provocar dores de cabeça. Numa pessoa com diabetes, é importante vigiar a tensão arterial, evitar fumar e cumprir cerca de 7h a 8h de sono por noite. Uma dieta saudável também protege da dor de cabeça, pelo que devem ser evitados alimentos com alto teor de açúcar e gorduras, preferindo os vegetais, as leguminosas e os alimentos não processados.

artigo

87.

10 alimentos bons para a diabetes

Sinais de alarme

A dor de cabeça é, normalmente, um sintoma benigno e passageiro, muitas vezes associado ao cansaço ou a poucas horas de sono. No entanto, existem sinais que nos devem alertar e motivar a procurar ajuda médica:

 

  • Se a sua dor de cabeça for diferente do padrão habitual;
  • Alta intensidade com início súbito;
  • Febre ou rigidez no pescoço;
  • Alterações da marcha, convulsões, dificuldade na fala ou da compreensão, sonolência ou outras alterações do estado de consciência;
  • Olhos vermelhos e visão turva.

 

Estes sintomas podem significar quadros mais sérios e, assim, devem ser avaliados com brevidade por um médico especialista.

Cuidados a ter

Se tem diabetes é essencial manter um estilo de vida saudável. Para prevenir o aparecimento de dores de cabeça, deve ter os seguintes cuidados:

 

  • Cumprir uma dieta saudável, rica em legumes e com pouco sal;
  • Manter a tensão controlada, idealmente abaixo dos 130/80mmHg;
  • Dormir cerca de 7 a 8 horas por noite;
  • Fazer exercício físico regular;
  • Gerir o stress e o cansaço, quer físico, quer emocional;
  • Manter o controlo glicémico, não só com hábitos saudáveis, mas também com o cumprimento da medicação para a diabetes: seja tomar os antidiabéticos orais conforme o esquema que o médico assistente prescreve, seja administrar a insulina consoante os seus valores de açúcar no sangue, que deve controlar diariamente.

 

Em conclusão, as dores de cabeça são frequentemente situações sem gravidade, e que podemos controlar se forem associadas a poucas horas de sono, ao tabaco, à tensão arterial descontrolada, a uma dieta rica em gorduras e açúcar ou a um mau controlo glicémico. Todas estas situações , contudo, são possíveis de alterar com a prática de hábitos mais saudáveis!

 

Fontes

Referências

  • Dynamed
  • Haghighi FS, et al, 2015
  • LópezdeAndrés A, et al, 2018
  • D`Ávila Portal, BC, et al s/d
artigo
imprimir
anterior seguinte